quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Festival Amazonas de Rock, o GRITO ROCK 2012!!!

Festival Amazonas de Rock, o GRITO ROCK 2012!!!
27 BANDAS AUTORAIS DE TODO O ESTADO!!!
Dias 22, 23 e 24 de Março de 2012!!!


 Manaus - O festival de música não competitivo "Grito Rock", que acontece em todas as regiões do Brasil, foi lançado na manhã desta terça-feira, dia 28, no Centro Cultural Palácio da Justiça. O festival, agora em novo formato está repleto de novidades e conta com o apoio da Secretaria de Cultura, e parceria do Fórum Permanente de Música do Amazonas. Em Manaus, o evento acontecerá entre os dias 22 à 24 de março de 2012 com o objetivo de proporcionar o fortalecimento da cadeia produtiva de música, visando a difusão do rock.

A abertura do festival será dia 22 de março, no Teatro Amazonas, onde três bandas escolhidas por uma curadoria formada por profissionais de música. As bandas serão responsáveis por toda a produção do show, e para isso receberão uma premiação de R$ 7 mil. Já as demais bandas que se apresentarão nos dias 23 e 24, no Largo Mestre Chico, ganharão R$ 1.500,00 por grupo. No total, 27 bandas serão escolhidas para se apresentar no festival.

Além dos três dias de shows de rock, a outra novidade do festival é a "Feira do Rock", onde expositores comercializarão produtos da cultura rock criados e elaborados por artistas de Manaus. Oficinas e workshops também serão realizados nos dias de festival e duas bandas nacionais também serão escolhidas para apresentação no "Grito Rock 2012".

As bandas que desejarem se inscrever no festival, deverão ter músicas de sua própria autoria. "A intenção do festival é incentivar a produção de música das bandas amazonenses e fomentar as músicas autorais. Queremos e divulgar o o estilo musical rock para o público", explicou a sub-secretária de cultura, Elizabeth Catanhede.



REGULAMENTO DO FESTIVAL DE ROCK – GRITO ROCK 2012

O Governo do Estado do Amazonas, através da Secretaria de Cultura, em parceria com o Fórum Permanente de Música do Amazonas, torna público para conhecimento dos interessados, que a partir de 30 de novembro de 2011 a 30 de janeiro de 2012, estarão abertas as inscrições referente ao Festival Amazonas de Rock – Grito Rock 2012, nos termos da Lei nº 8.666 de 21 de junho de 1993, e respectivas alterações, assim como pelas demais normas legais e regulamentais pertinente a espécie, inclusive pela Lei dos Direitos Autorais nº 9.610 / 98, e em conformidade com as condições e exigências estabelecidas neste Regulamento.

1. DO OBJETO
1.1. Constitui objeto do presente, estabelecer regras gerais e específicas no âmbito dos segmentos desta Secretaria em parceria com o Fórum Permanente de Música do Amazonas, a realização da Mostra de Música do Festival Amazonas de Rock – Grito Rock 2012, tendo como objetivo proporcionar o fortalecimento da cadeia produtiva da música, visando a valorização e difusão, com foco neste segmento.
2. MODALIDADE, LOCAIS E PERÍODO DO FESTIVAL
2.1. FESTIVAL AMAZONAS DE ROCK – GRITO ROCK 2012 é uma mostra de música não competitiva, com o intuito de apresentar à comunidade de Manaus a diversidade musical dentro do segmento rock.
Estarão aptos à seleção, bandas que tenham letras e composições próprias, visto que caso a banda seja selecionada; apresentará um show de 30 (trinta) minutos de duração com seu trabalho autoral, de acordo com as vertentes nas quais se inscreverem, sendo elas:
2.2. SHOWS de ABERTURA - a serem realizados no Teatro Amazonas, no dia 22 de Março de 2012.
2.3. MOSTRA - a ser realizada no espaço Largo Mestre Chico, no dias 23 e 24 de Março de 2012. 3. SHOW DE ABERTURA
3.1 – DAS DEFINIÇÕES
Para os efeitos deste Regulamento ficam estabelecidas as seguintes regras para SHOWS DE ABERTURA:
3.1.1. Estarão aptos à seleção, Grupo/Banda/Artista Individual de qualquer vertente do rock, independentemente do seu estilo musical;
3.1.2. O Grupo/Banda/Artista Individuais, participante da modalidade SHOWS DE ABERTURA deverá ser residente e domiciliado nesta unidade da Federação há, pelo menos, 02 (dois) anos;
3.1.3. O Grupo/Banda/Artista Individual selecionado apresentará um show de 30 minutos;
3.1.4. O Grupo/Banda/Artista Individual deverá apresentar Projeto Técnico conforme Capitulo 6, Item 1, subitem 6.1.3.
3.2 - DA PREMIAÇÃO
3.1.1 Fica estabelecido prêmio no valor de R$ 7.000,00 (sete mil reais), para cada classificado na Modalidade SHOW DE ABERTURA, incidindo os descontos pertinentes ao item 9, sub-item 9.6.


 3.3 - DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
3.3.1. A avaliação técnica dos projetos inscritos para SHOWS DE ABERTURA, a ser realizada pela Comissão Curatorial, levará em consideração os critérios:
a. Excelência artística do projeto;
b. Conteúdo, linguagem e musicalidade;
c. Originalidade e criatividade; e,
d. Qualificação dos artistas e técnicos envolvimentos no projetos.
3.4 - DA APRESENTAÇÃO
3.4.1. A passagem de som para realização do show musical será pré-estabelecida pela Comissão Organizadora do FESTIVAL AMAZONAS ROCK – Grito Rock 2012;
3.4.2. No dia da apresentação os classificados deverão chegar no mínimo 02 (duas) horas antes do show;
3.4.3. Será de inteira responsabilidade do artista os custos com músicos que integrarem a Banda na sua apresentação;
3.4.4. Incumbe ao artista da apresentação selecionada, a realização dos procedimentos legais e financeiros formais, caso existam, no sentido de liberação e recolhimento dos pagamentos decorrentes da apresentação do espetáculo;
3.4.5. Será de inteira responsabilidade da Banda/Grupo Musical ou Artista Individual do interior do Estado, cabe aos artistas arcarem com os custos de deslocamento para Manaus e de retorno a cidade de origem;
3.4.6. Para a apresentação no festival é obrigatório que os músicos da Banda/Grupo/Artista Individuais, estejam em dia com a Ordem dos Músicos do Brasil. 4 – MOSTRA
Para os efeitos deste Regulamento ficam estabelecidas as seguintes regras para MOSTRA:
4.1 - DAS DEFINIÇÕES
4.1.1. O representante da Banda/Grupo Musical, ou Artista Individual, participantes da MOSTRA deverá ser residente e domiciliado nesta unidade da Federação, há pelo menos 02 (dois) anos;
4.1.2. Estarão aptos à seleção, Bandas/Grupo Musical ou Artista Individual de qualquer vertente do rock, desde que tenham letras e composições autorais, visto que, caso a banda ou artista seja selecionado, apresentará um show de até 30 minutos.

 4.2 - DA PREMIAÇÃO
4.2.1. Fica estabelecido à premiação no valor de R$ 1.500,00 (Hum Mil e Quinhentos Reais), para cada selecionado para integrar a modalidade MOSTRA, incidindo os descontos pertinentes ao item 9, sub-item 9.6.
4.3 - DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
4.3.1 - A avaliação técnica das propostas inscritas MOSTRA, a ser realizada pela Comissão Curatorial, levará em consideração os seguintes critérios:
a. Musicalidade;
b. Originalidade; e,
c. Criatividade.
4.4 - DA APRESENTAÇÃO
4.4.1. A passagem de som dos participantes será pré-estabelecida pela Comissão Organizadora do FESTIVAL AMAZONAS ROCK – Grito Rock 2012.
4.4.2. No dia da apresentação os classificados deverão chegar com no mínimo duas horas antes do show;
4.4.3. É de inteira responsabilidade do representante da Banda/Grupo Musical ou Artista Individual, os custos com músicos que integrarem a Banda na sua apresentação;
4.4.4. Caso constate-se que o Banda/Grupo Musical ou Artista Individual selecionado apresentou em seu repertório, no dia do show, trabalhos que não sejam de sua autoria, o mesmo ficará impedido de participar da seleção do Festival Amazonas Rock do ano seguinte;
4.4.5 No caso a Banda/Grupo Musical ou Artista Individual do interior do estado sejam selecionados, cabe aos artistas arcarem com os custos de deslocamento para Manaus e de retorno a cidade de origem;
4.4.5. Para a apresentação no festival é obrigatório que os músicos da banda / grupo / artista estejam em dias com a Ordem dos Músicos do Brasil;
5 – DAS INSCRIÇÕES
5.1.1. O regulamento e ficha de inscrição estarão disponibilizados nos seguintes endereços eletrônicos: www.musicanoam.wordpress.com, e culturadoam.blogspot.com;
5.1.2 As inscrições para este certame serão gratuitas e deverão ser entregues de 30 de novembro de 2011 a 30 de Janeiro de 2012, de segunda a sexta (dias úteis) das 08:00 às 12:00 e das 13:30 às 17:00, na Secretaria de Estado de Cultura - Av. 07 de Setembro, 1546 - Centro – Anexo ao Centro Cultural Palácio Rio Negro
5.1.3 Não haverá prorrogação do prazo estabelecido;

 5.1.4 Não serão aceitas inscrições via internet. Inscrições pelo correio serão válidas apenas se realizadas por banda / grupo / artista residente no interior do estado, obedecendo aos mesmos critérios de periodicidade para as inscrições realizadas presencialmente;
5.1.5. Serão indeferidas as inscrições que não forem apresentadas adequadamente no lugar, prazo, forma e demais condições especificadas no presente Regulamento;
5.1.6. Por ocasião do ato da inscrição o(s) autor(es) da(s) canção(ões) autorizarão a imediata liberação dos direitos autorais concernentes a apresentação vinculada a programação nos dias do evento não cabendo pois qualquer cobrança junto ao ECAD;
5.1.7. É vedada a participação de membros da comissão organizadora ou da curadoria do festival em qualquer modalidade deste regulamento.
6 – DA DOCUMENTAÇÃO
6.1.1. O ENCAMINHAMENTO DEVERÁ SER FEITO EM 01 (um) envelope, LACRADO, com as seguintes instruções:
a. Proponente(s): (nome do Grupo /Banda/Artista);
b. Modalidade: (na qual o Grupo/Banda/Artista Individual pretende realizar a inscrição): SHOWS DE ABERTURA ou MOSTRA.
6.1.2. CONTEÚDO DO ENVELOPE
Documentação para todas as Modalidades:
01 (uma) via do Formulário Padrão devidamente preenchido para modalidade que pretende participar com:
a. Ficha de Inscrição;
b. Declaração de Responsabilidade e Compromisso;
c. Declaração de Cessão de Utilização de Obra, Imagem e Som;
d. Cópia da Carteira de Identidade do proponente (compositor, artista responsável pela Grupo/Banda/Artista Individual);
e. Cópia do CPF do proponente (compositor, artista responsável pela Grupo/Banda/Artista Individual);
f. Comprovação de residente nesta unidade da Federação há, pelo menos, 02(dois) anos, através de documento referente ao ano de 2010 E 2011 (Exemplo: IPTU, contas de água, luz, telefone, contrato de locação, histórico escolar, carteira de trabalho, declaração de vida e residência emitida pelo departamento de Polícia Civil);
g. Termo de autorização para participação de menor emitida pelos pais ou responsáveis legais, com assinatura registrada em cartório(quando for o caso).


 6.1.3. Documentação OBRIGATÓRIA e específica para SHOW DE ABERTURA:
Projeto técnico contendo:
a. Capa contendo: Título do Show e Nome do Grupo/Banda/Artista Individual;
b. Apresentação;
c. Objetivo e justificativa;
d. Ficha técnica do projeto relacionando as funções a serem exercidas e o nome dos artistas e técnicos envolvidos; e,
e. Proposta de repertório e/ou roteiro; e,
f. Concepção de cenários, figurinos, iluminação, adereços e música.
g. Gravação da música em CD, nos formatos Wav ou mp3, e identificada apenas com o nome da obra;
h. Gravação em vídeo do Grupo/Banda/Artista Individual.
6.1.4 - Documentação OBRIGATÓRIA e específica para MOSTRA:
Proposta da Grupo/Banda/Artista Individual contendo:
a. Curriculum da Banda/Grupo musical e de seu representante, ou do artista individual;
b. Fotos da banda, ou do artista individual;
c. Repertório a ser executado;
d. Ficha técnica relacionando as funções a serem exercidas e o nome dos artistas e técnicos envolvidos
e. Rider Técnico;
f. Gravação da música em CD, nos formatos Wav ou mp3, e identificada apenas com o nome da obra;
g. Gravação em vídeo do Grupo/Banda/Artista Individual.
7 – DA SELEÇÃO
7.1 O Grupo/Banda/Artista Individual inscritas serão analisadas por uma curadoria formada por profissionais da música e produtores culturais, entre os dias 01 e 03 de Fevereiro de 2012;
7.2 Serão selecionadas 27 Grupo/Banda/Artista Individual amazonenses, sendo 3 para o SHOW DE ABERTURA (Teatro Amazonas) e 24 para a MOSTRA (Largo Mestre Chico);
7.3 A ordem de apresentação das Grupo/Banda/Artista Individual será definida por sorteio, podendo sofrer alterações por parte da comissão organizadora, de acordo com a necessidade do evento;
7.4 As decisões da Curadoria de seleção são irrevogáveis, não podendo ser impetrado qualquer recurso.
8 – DA DIVULGAÇÃO DOS SELECIONADOS
8.1 A Organização do Festival divulgará os selecionados na imprensa de Manaus e pela Internet, no dia 06 de Fevereiro de 2012.

 9 – DISPOSIÇÕES GERAIS
9.1. A inscrição dos candidatos no Festival implicará na tácita aceitação de todos os termos do presente Regulamento, valendo como adesão espontânea de compositores, intérpretes, instrumentistas, backing vocal e outros para participarem desta realização.
9.2. Os Grupo/Banda/Artista Individual participantes autorizarão sem nenhum ônus a cessão ilimitada de direito de imagem e som, para utilização em qualquer tempo, tiragem de edição gravada nas mídias contemporâneas e veiculação na imprensa local, nacional e internacional.
9.3. O Grupo/Banda/Artista Individual inscrito no concurso em inobservância aos preceitos à Lei dos Direitos Autorais, responderá judicialmente, caso a Secretaria de Cultura venha a ser objeto de processo judicial em razão de seu ato de plágio.
9.4. O material contendo a gravação da música e letra da canção, não será devolvido, podendo integrar o acervo do Museu da Imagem e do Som do Amazonas;
9.6. Incidirão sobre o valor total dos prêmios, cachês e ajuda de custo, todos os descontos dos tributos pertinentes, conforme legislação em vigor.
9.7. A participação de menores no evento se dará mediante Termo de Autorização Judicial.
10 - CASOS OMISSOS
10.1 As dúvidas de interpretação ou integração de lacunas deste regulamento cabem à Organização do Festival;
10.2 Os casos omissos serão dirimidos pela Secretaria de Cultura e Comissão Organizadora.
Manaus, 24 de novembro de 2011.

As inscrições estarão disponíveis no site www.musicadoam.wordpress.com ou www.culturadoam.blogspot.com, a partir do dia 30 de novembro deste ano, até 30 de janeiro de 2012. A seleção será feita entre os dias 1 e 3 de fevereiro de 2012.


                                          ROBÉRIO DOS SANTOS PEREIRA BRAGA
                                                    Secretário de Estado de Cultura

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

3°HOLOCAUSTO METAL FEST-BOA VISTA/RR 2011.


CLÃ BLACK DEMONS HEAD BANGERS ORGULHOSAMENTE APRESENTA!!! 3°HOLOCAUSTO METAL FEST-BOA VISTA/RR, DIA:12 DE NOVEMBRO DE 2011.

COM AS BANDAS:
*OLD FUNEREAL(BLACK METAL/OLD SCHOOL-RR)
*EPILEPSY(THRASH METAL/OLD SCHOOL-RR)

*EPIDEMIC(TRHASH METAL-AM)

*AUTO DESTRUIÇÃO(DEATH METAL-AM)

*HIPNOSE DEATH(DEATH METAL-AM)

*EVIL SYDICATE(DEATH METAL-AM)

LOCAL: ASSOCIAÇÃO DOS HEAD BANGERS DE RORAIMA DO BAIRRO 13 DE SETEMBRO.
AV: ELDORADO N°248 -13 DE SETEMBRO.
HORÁRIO: 20:00 HS.
INGRESSO:R$10,00.
INFORMAÇÕES:[095]9136-9581.

sábado, 25 de junho de 2011

THRASH'N HELLS II , METAL MANAUS


LOCAL- The other place (bar dos hells)
AV- Jaciras Reis (Rua travessa ponta negra)com estrada da ponta negra
horas- apartir das 22:oo hs
Sorteios de brindes

Bandas convidadas.

                                                                 EXTREME WARNING

                                                               Disritimiaa


                                                           
                                                                  EVIL SYNDICATE 


                                                      BRUTAL EXUBERÃNCIA

VIDA LONGA AO METAL AMAZONENSE...

Nekrost vence o Wacken Metal Battle, METAL MANAUS





NEKROST, DO AMAZONAS, VENCE ‘WACKEN METAL BATTLE BRASIL 2011′
A banda de Manaus/AM, NEKROST, conquistou o ‘Wacken Metal Battle Brasil 2011′. A grande Final Nacional foi realizada nesta sexta-feira, 24 de junho, em Varginha/MG, como parte das atrações do festival Roça ‘n’ Roll. As bandas vencedoras das Seletivas Regionais que participaram da Final foram:
Attomica – S José dos Campos/SP
Ayin – Campo Grande/MS
Fire Shadow – Curitiba/PR
Hatefulmurder – Rio de Janeiro/RJ
Imperial Betrayer – Belo Horizonte/MG
In The Shadows – Goiânia/GO
Kamala – Campinas/SP
Keter – Salvador/BA
Madness Factory – João Pessoa/PB
Nekrós – Criciúma/SC
Nekrost – Manaus/AM
Pandemmy – Recife/PE
Plague Remains – Bauru/SP
Psychodeath – Vitoria/ES
Red Front – São Paulo/SP
Roadsider – Fortaleza/CE
Sacrario – Porto Alegre/RS
Suicide Spree – Rio Branco/AC
Vetor – Santos/SP
Warpath – Ananindeua/PA
Zilla – Brasília/DF
O Nekrost agora representará o Brasil na etapa mundial do ‘Metal Battle’, que ocorrerá no festival alemão “Wacken Open Air”, a ser realizado entre os dias 3 , 4, 5 e 6 de agosto.
                                                                                     
                                                          VIDA LONGA AO METAL AMAZONENSE

quinta-feira, 19 de maio de 2011

METAL UNION MANAUS PARTE II




METAL UNION MANAUS PARTE II

METAL UNION MANAUS PARTE II
DIA 18/06/2011 - 22 HS
LOCAL: VITROLA MUSIC HALL
BANDAS: NEKROST - SNATCH - HIPNOSE DEATH - HAWAKE
INGRESSO: R$10,00 - chegando com o flyer na bilheteria paga R$5,00.
Pagando o ingresso você estará ajudando a banda Nekrost com as despesas da viagem para Varginha-MG, representando o Amazonas na final do Wacken Metal Battle - Brasil
Conto com a presença de todos!


                                                                   NEKROST
 
                                                                    SNATCH                 
 
                                                                   HIPNOSE DEATH
                                                                    
                                                                       HAWAKE
                                                                 
 

Symphony X em Manaus

Symphony X em Manaus – ingressos à venda!


 
  • Data: 3 de junho
  • Local: TEATRO DIRECIONAL - Manauara Shopping – Manaus – AM
  • Horário: 22h
  • Vendas: Bilheteria do Teatro Direcional (Manauara Shopping) ou http://www.bestseat.com.br
  • Valor: 1º lote – R$ 60,00 Meia Entrada
  • Valor: 2º lote – R$ 70,00 Meia Entrada


A banda Symphony X nasceu em Nova Jérsei, EUA, em Abril de 1994, quando o Guitarrista Michael Romeo, recebendo várias boas críticas por sua demo auto-produzida The Dark Chapter, resolveu montar a banda. O primeiro membro a vir à tona foi o baixista Thomas Miller, que havia tocado com Michael em numerosas ocasiões nos últimos dez anos. Logo após o vocalista Rod Tyler e o batera Jason Rullo serem adicionados à banda e finalmente com a chegada de Michael Pinella a primeira line-up do Symphony X  estava completa.
O primeiro álbum - simplesmente intitulado Symphony X  - foi gravado em Agosto/Setembro de 94 e lançado no japão em Dezembro do mesmo ano. Impressionou os fãs de metal progressivo e hardrock melódico por todo o mundo.
Apenas oito meses após o lançamento do debut, o Symphony X lançou seu segundo álbum, The Damnation Game. No começo de 95, a banda teve que se despedir do vocalista Rod, e Russell Allen veio se estabelecer como novo frontman. Com harmonias vocais realmente excelentes e influências de música clássica, a banda quis quebrar as barreiras do Metal Progressivo também na Europa... as reações dos fãs e imprensa sobre Damnation foram ainda mais positivas que as sobre o álbum de estréia.
Fins de 96, a banda começou a trabalhar no seu magnum opus, o disco The Divine Wings of Tragedy. Sem sombra de dúvidas considerado por muitos o melhor da carreira, especialmente na França, Alemanha e Italia, que receberam de braços abertos o álbum e faixas como Of Sins and Shadows, The Accolade, e a faixa título de 20 minutos. Nas grandes revistas, o  Symphony X  ficou em altas posições com seu álbum e a imprensa mostrou a banda com louvores.
Em vez de irem para a Europa e tocarem ao vivo, a banda entrou em estúdio novamente em Outubro de 97 para trabalhar no sucessor de Divine Wings..., Twilight in Olympus. Sem dúvida um grande álbum, com Allen cantando como nunca.


Mas como nem tudo são flores, durante o processo de composiçao de "Twilight" o baterista Jason Rullo precisou se afastar do cargo deixando a vaga para Tom Walling. O disco foi novamente produzido pela parceria entre Eric Rachell e Steve Evetts (que também trabalhara com o Sepultura). Com o novo disco lançado e recebendo ótimas críticas por todo mundo, a banda deu início aquela que seria sua primeira turnê oficial. Porem Tom Walling não mostrou interesse em seguir com a banda forçando Jason Rullo a reassumir o posto na mesma época em que o baixista Thomas Miller precisou retornar aos EUA. A banda não imaginava, mas aqueles seriam os ultimos dias de Thomas como integrante do Symphony X .

Assim que a banda anunciou um novo disco também anunciou o nome do novo baixista, Michael LePond (que também tocaria no Distant Thunder). "V - The New Mithology" é, sem sombra de dúvida, o disco mais completo de toda a carreira do Symphony X . Masi uma vez produzido Eric Rachell (porem agora sem a parceria de Steve Evetts), V tras de volta a grandiosidade dos backing vocals usados no Divine, associados ao peso conseguidos no Twilight, tudo acrescentado a uma maestria minuciosa dos arranjos. O sucesso do disco foi tamanho que dessa vez o banda seguiu para uma turnê mundial, chegando a passar pelo Brasil.
O resultado disso pode ser conferido no duplo ao vivo "Live on the Edge of Forever". Produzido e financiado pela própria banda, esse primeiro registro ao vivo mostra um Symphony X plenamente entrosado no palco, mas peca pela captação de não tão boa qualidade e pelo fato de não apresentar músicas do primeiro trabalho de estúdio.
No ano de 2002, a banda retornou ao estúdio para registrar o épico "The Odssey". Esse disco, produzido pelo próprio guitarrista Michael Romeo, mostra um Symphony X mais cru e pesado, porém não menos complexo, com uma sonoridade que colocou os teclados em segundo plano (sem inutilizá-los) e deixou os riffs de guitarra à frente dos outros instrumentos. Isso pode ser comprovado em faixas como "Inferno", "Wicked" e "King of Terror". Mas o ponto alto do petardo acontece na faixa título com seus mais de 20 minutos.
No final de 2004 e início de 2005, o Symphony X voltou a estúdio para compor e registrar novo material






quinta-feira, 28 de abril de 2011

Woodstock 1969

O Woodstock Music & Art Fair (conhecido informalmente como Woodstock ou Festival de Woodstock) foi um festival de música anunciado como "Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música", realizado entre os dias 15 e 18 de agosto de 1969 na fazenda de 600 acres de Max Yasgur na cidade rural de Bethel, no estado de Nova York, Estados Unidos. Originalmente, o festival deveria ocorrer na pequena cidade de Woodstock, também estado de Nova Iorque, onde moravam músicos como Bob Dylan, mas a população não aceitou, o que levou o evento para a pequena Bethel, a uma hora e meia de distância.[1]

O festival exemplificou a era hippie e a contracultura do final dos anos 1960 e começo de 70. Trinta e dois dos mais conhecidos músicos da época apresentaram-se durante um chuvoso fim de semana defronte a meio milhão de espectadores. Apesar de tentativas posteriores de emular o festival, o evento original provou ser único e lendário, reconhecido como um dos maiores momentos na história da música popular.





História
Fazenda de Max Yasgur, onde aconteceu o Festival de Woodstock.O Festival de Woodstock surgiu dos esforços de Michael Lang, John P. Roberts, Joel Rosenman e Artie Kornfeld. Roberts e Rosenman, que entrariam com as finanças, colocaram um anúncio sob o nome de Challenge International, Ltd., no New York Times e no Wall Street Journal ("Jovens com capital ilimitado buscam oportunidades de investimento legítimas e interessantes e propostas de negócios").[2] Lang e Kornfeld responderam o anúncio, e os quatro reuniram-se inicialmente para discutir a criação de um estúdio de gravação em Woodstock, mas a idéia evoluiu para um festival de música e artes ao ar livre.[2]

Mesmo considerado um investimento arriscado, o projeto foi montado tendo em vista retorno financeiro. Os ingressos passaram a ser vendidos em lojas de disco e na área metropolitana de Nova York, ou via correio através de uma caixa postal. Custavam 18 dólares (aproximadamente 75 dólares em valores atuais), ou 24 dólares se adquiridos no dia.[3] Aproximadamente 186,000 ingressos foram vendidos antecipadamente, e os organizadores estimaram um público de aproximadamente 200,000 pessoas.[4] Não foi isso que aconteceu, no entanto. Mais de 500,000 pessoas compareceram, derrubando cercas e tornando o festival um evento gratuito.


O primeiro dia do festival.Este influxo repentino provocou congestionamentos imensos, bloqueando a Via Expressa do Estado de Nova York e eventualmente transformando Bethel em "área de calamidade pública". As instalações do festival não foram equipadas para providenciar saneamento ou primeiros-socorros para tal multidão, e centenas de pessoas se viram tendo que lutar contra mau tempo, racionamento de comida e condições mínimas de higiene.[5]

Embora o festival tenha sido reconhecidamente pacífico, dado o número de pessoas e as condições envolvidas, houve duas fatalidades registradas: a primeira resultado de uma provável overdose de heroína, e a outra após um atropelamento de trator. Houve também dois partos registrados (um dentro de um carro preso no congestionamento e outro em um helicóptero), e quatro abortos.[6]


A multidão reunida.Ainda assim, em sintonia com as esperanças idealísticas dos anos 60, Woodstock satisfez a maioria das pessoas que compareceram. Mesmo contando com uma qualidade musical excepcional, o destaque do festival foi mesmo o retrato comportamental exibido pela harmonia social e a atitude de seu imenso público
Ficheiro:Woodstock redmond stage.JPG
Apresentações.
Trinta e duas apresentações foram realizadas ao longo dos quatro dias do evento:

[editar] Sexta-feira, 15 de agosto
Richie Havens.Richie Havens
Swami Satchidananda - deu a invocação para o festival
Sweetwater
The Incredible String Band
Bert Sommer
Tim Hardin
Ravi Shankar
Melanie
Arlo Guthrie
Joan Baez
[editar] Sábado, 16 de agosto
Placa comemorativa existente no local original do festival, na área do antigo palco.Quill, quarenta minutos para quatro músicas
Keef Hartley Band
Country Joe McDonald
John Sebastian
Santana
Canned Heat
Mountain
Grateful Dead
Creedence Clearwater Revival
Janis Joplin com a The Kozmic Blues Band[8]
Sly & the Family Stone
The Who começou às 4 da manhã, dando início a um conjunto de 25 músicas, incluindo Tommy
Jefferson Airplane
[editar] Domingo, 17 de agosto para Segunda, 18 de agostoThe Grease Band
Joe Cocker
Country Joe and the Fish
Ten Years After
The Band
Blood, Sweat & Tears
Johnny Winter e seu irmão, Edgar Winter
Crosby, Stills, Nash & Young
Paul Butterfield Blues Band
Sha-Na-Na
Jimi Hendrix
Convites recusados.
The Beatles: O site woodstockstories.com apresenta duas alternativas para a recusa dos Beatles.
A primeira é que os organizadores teriam contactado John Lennon, e ele disse que a banda só tocaria se a Plastic Ono Band de Yoko Ono também pudesse se apresentar.
O site afirma que a explicação mais plausível é que Lennon queria tocar, mas sua entrada nos Estados Unidos a partir do Canadá foi bloqueada pelo presidente Nixon.[9] De qualquer modo, os Beatles estavam prestes a se separar, e inclusive não tocavam ao vivo fazia três anos, desde de agosto de 1966.
The Doors: considerado como uma alternativa, cancelou sua aparição no último momento; de acordo com o guitarrista Robbie Krieger, eles recusaram pois pensaram que aquela seria mais uma "imitação de segunda categoria do Monterey Pop Festival", mais tarde se arrependendo da decisão.
Outro fator foi que o vocalista Jim Morrison estaria inseguro quanto a se apresentar fronte a grandes platéias. O baterista John Densmore no entanto compareceu ao festival, e no filme pode ser visto no palco durante a apresentação de Joe Cocker.
Led Zeppelin: também foi convidado, de acordo com seu empresário Peter Grant: "Fomos chamados pra tocar em Woodstock e a Atlantic gostou da idéia, assim como nosso promoter nos EUA, Frank Barsalana, mas eu disse não pois em Woodstock seríamos apenas mais uma banda". Ao invés disso o grupo embarcou em uma bem-sucedida turnê de verão, tocando naquele mesmo final de semana no Asbury Park Convention Hall em New Jersey.[11]
Jethro Tull: recusou o convite, de acordo com Ian Anderson, pois seu empresário lhe disse que haveria montes de drogas, lama e hippies. Embora a banda não tenha se apresentado no festival, sua música foi tocada pelo sistema sonoro de utilidade pública. No filme, durante entrevistas com os organizadores (quando eles discutem quanto dinheiro estão perdendo com o evento), as canções "Beggar's Farm" e "Serenade to a Cuckoo", do álbum This Was, podem ser ouvidas ao fundo.
The Byrds: foram convidados, mas escolheram não participar pensando que Woodstock não teria nada de diferente dos outros festivais musicais que estavam acontecendo naquele verão. Também estavam preocupados com o cachê, de acordo com declarações do baixista John York: "Estávamos indo pra um show e Roger McGuinn chegou e disse que um cara estava organizando um festival no norte de Nova York, mas que naquele ponto já não estavam mais pagando as bandas. Ele perguntou se queríamos ir, e todos responderam, 'Não, queremos descansar'. Não fazíamos idéia de como aquilo seria. Estávamos esgotados, e também cansados daquela coisa de festivais. Então recusamos, e perdemos o melhor festival de todos".[12]
Bob Dylan: estava negociando para tocar, mas desistiu depois que seu filho ficou doente. Ele também estava insatisfeito com o número de hippies acampando perto de sua casa, no local onde o festival ocorreria originalmente.[13]
Joni Mitchell: estava agendada para tocar, mas cancelou pois seu empresário temia que ela perdesse uma participação no programa de TV The Dick Cavett Show.[14]
The Moody Blues: apareceram no primeiro pôster de divulgação do evento, mas desistiram de participar após agendarem um show em Paris naquele mesmo final de semana.[15]
Outras edições Para comemorar os 25 anos do superevento,
250 mil pessoas se reuniram no Woodstock '94, em Saugerties, a 135 km de Nova York. Pagaram 135 dólares para ouvir 40 bandas, entre eles o Nine Inch Nails, Aerosmith, Metallica, Green Day, Red Hot Chili Peppers e músicos como Peter Gabriel, Carlos Santana e Joe Cocker.Outra edição ocorreu em 1999, destruindo a reputação do "Festival da Paz e do Amor" devido à violência e tumultos supostamente incentivados por bandas como Limp Bizkit, Insane Clown Posse e Kid Rock
                                                                       Jimi Hendrix Historic Moment Woodstock 69
                                                              Jimi Hendrix Voodoo Child by tribut AXiS - Live at Woodstock


                     Soul Sacrifice (Woodstock 1969) Incredible drum solo by 20 yr old boy! Michael Shrieve


                                                     Evil Ways - Santana [Live at Woodstock 1969]

                                                       Janis Joplin - woodstock'69

                                                          Janis Joplin- Try (Live at Woodstock, 1969)

                                                    Janis Joplin- Woodstock, 1969)

                               The Who -- See Me, Feel Me -- Live at Woodstock 1969



The Who. My Generation. The Woodstock Diary 1969 (live)


Woodstock '69 :: Country Joe McDonald's "F-U-C-K Cheer" / "I Feel Like I'm Fixing To Die"


Canned Heat live at Woodstock 1969.


Bert Sommer - "Jennifer", Woodstock 1969

Country Joe - Rock And Soul Music - Woodstock 1969

Ten Years After live at Woodstock 1969.

Woodstock:  fim.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Max Cavalera vs. SEPULTURA

                
Em 1996 parecia que o Sepultura iria durar para sempre. A banda mineira havia conseguido se tornar a banda nacional mais conhecida no mercado mundial. Seus shows atraiam milhares de pessoas, seus discos chegavam a marca de 1 milhão de cópias vendidas e a crítica e toda a imprensa brasileira haviam se rendido aos cabeludos que estavam marcando história. E ainda assim, em 16 de dezembro de 1996 a banda faria sua última apresentação com a formação original e em 29 de janeiro de 1997 Max abandonaria a banda de vez. Como em muitas bandas após um longo período, o relacionamento interno na banda já vinha desgastado havia algum tempo. À medida que a banda crescia e se consolidava cada vez mais como um dos gigantes da música pesada mundial, nos bastidores o relacionamento do vocalista e guitarrista Max Cavalera com o resto do grupo se tornava mais distante e complicado. Na época, o casamento de Max Cavalera com Gloria, a empresária da banda, contribuiu, de certa forma, para o desgaste das relações internas. Em determinado momento havia a sensação de que a imagem de Max era mais divulgada do que a da própria banda. Já em 1994 Igor Cavalera não queria renovar o contrato com Gloria. Porém, Andreas Kisser o convenceu a renová-lo por mais dois anos. Enquanto Max saía antes com a mulher e seu filho mais novo Zyon, o restante da banda saía em seguida, bem mais simpáticos e determinados a falar com seus fãs. Com o sucesso de Roots, lançado em 1996, a situação se tornou insuportável. Max estava cada vez mais afastado do restante do grupo, cada vez mais isolado. Além disso, vários acontecimentos que se sucederam ao longo do ano prejudicaram de forma substancial o relacionamento do grupo com a empresária Gloria. Igor Cavalera, Andreas Kisser e Paulo Jr então, tomaram uma decisão: não iriam renovar o contrato de Gloria. Ao fim de um show em Buenos Aires, no dia 15 de novembro de 1996, o trio informou a Max e Gloria que não pretendia renovar o contrato. Deixou claro, entretanto, que Max poderia continuar a trabalhar com sua mulher e que eles contratariam outra pessoa. 16 de dezembro de 1996 era o último dia de contrato de Gloria com o Sepultura. Para que o contrato não se renovasse automaticamente, a banda teria que entregar um comunicado oficial, por escrito, à empresária. Um advogado preparou uma carta a ser entregue a Gloria ao fim do show em Londres. Ao final da apresentação, Igor, Andreas e Paulo se reuniram com Gloria (Max se recusou a participar da reunião) e entregaram a carta, informando-a de que não pretendiam renovar o seu contrato. Depois desta ocasião, apenas em 29 de janeiro de 1997 Max anunciou oficialmente a sua saída do Sepultura. Portanto, aquele show em Londres não foi apenas o último da turnê do Roots em 1996, como foi o último de Max Cavalera no Sepultura.
Mesmo com o restante da banda continuando com a entrada do novo vocalista Derick Green e Max Cavalera montando sua própria banda, Soulfly, a carreira de ambos jamais voltaria a ter o mesmo prestígio de antes.
                                      



       Sepultura - Vamo Detonar 1996 - Parte 01
                                                                 Sepultura - Vamo Detonar 1996 - Parte 02
                                                                  Sepultura - Vamo Detonar 1996 - Parte 03
                                                                    Sepultura - Na Estrada Roots Tour Europa 1996 - Parte 01
                                                                   
                                                                    Sepultura - Na Estrada Roots Tour Europa 1996 - Parte 02
 

                                                               Sepultura - Na Estrada Roots Tour Europa 1996 - Parte 03
                                                               Sepultura - Arquivo 1996

                                                            Sepultura - Arquivo 1996