segunda-feira, 23 de abril de 2012

Mosh



O mosh, também conhecido como moshing ou bate-cabeça consiste no ato de puxar, empurrar e até colidir com outras pessoas em apresentações musicais como modo de entretenimento. Este tipo de ato, que também pode ser considerado uma espécie de dança, é comumente associado à gêneros musicais mais agressivos, como o hardcore punk e o .heavy metal

 

Origem

 O mosh surgiu dentro da cena hardcore/punk em Nova York no fim da década de 1980 é foi difundido para outras vertentes do rock pesado especialmente o thrash metal e o death metal.

Como o mosh consiste basicamente em um grupo de pessoas em um show formarem uma roda e começarem a praticar passos violentos contra outras pessoas, é comum a associação da dança como um ato de incentivo à violência. No entanto, segundo seus praticantes, o verdadeiro intuito de um mosh não é efetivamente agredir as pessoas, embora concordem fatores como a concentração de pessoas na roda; a agressividade e empolgação gerada pela melodia/batida da música; entre outros fatores, corroboram para a ocorrência de eventuais acidentes.
O Hardcore Two Step é um dos movimentos mais comuns no mosh. Portanto, é normal que bandas dessa cena musical façam melodias e batidas que combinam com o two step, propositalmente para as pessoas da roda fazerem um two step.


No Brasil, o mosh é conhecido como bate-cabeça ou "roda-punk". Algumas vezes, ao contrário do nome americano, no Brasil, mosh é o nome erroneamente dado ao ato de mergulhar do palco sobre a platéia em apresentações musicais, cujo nome correto é stage diving (literalmente "mergulho do palco").

domingo, 22 de abril de 2012

Metal Open Air ,O festival enfrenta problemas de organização

O festival enfrenta problemas de organização. Foto: Divulgação O festival enfrenta problemas de organização
Foto: Divulgação

Segundo o jornal O Imparcial, logo após o show da banda Korzus, o último da noite de sábado (21), funcionários desmontaram o único palco que funcionou no segundo dia de Metal Open Air.


Nenhuma resposta ou explicação foi dada às pessoas que permaneceram no local. Na tarde de sábado, um outro palco já havia sido desmontado. Com os dois espaços desativados, o público saiu insatisfeito do Parque da Independência.
Entenda o caso
O festival Metal Open Air gerou muita polêmica nos últimos dias. Marcado para acontecer entre sexta (20) e domingo (22), em São Luís, capital do Maranhão, o evento sofreu com o cancelamento de diversas bandas, incluindo alguns dos headliners - como Anthrax, Blind Guardian, Ratos de Porão e o Rock N' Roll All Stars, grupo de Gene Simmons, que traria o ator Charlie Sheen ao MOA como mestre de cerimônias. Segundo o site especializado em heavy metal Whiplash, o festival começou com atraso neste sábado (21), apesar das cerca de 30 bandas canceladas. Por volta das 16h do mesmo dia, o site havia noticiado o cancelamento do MOA, mas a produção se apressou em negar a informação.
Apesar dos problemas com as bandas e reclamações gerais sobre falta de estrutura - usuários do Twitter disseram que o acampamento do festival estava localizado em um estábulo, por exemplo -, o festival teve shows nesta sexta (21), mesmo começando com cinco horas de atraso. Os norte-americanos do Megadeth, um dos headliners do festival, se apresentaram no palco do MOA.
Até o início da noite deste sábado, cerca de 30 bandas, segundo o Whiplash já haviam cancelado a participação no festival, entre elas os headliners Rock n' Roll Stars, Anthrax, Blind Guardian e Ratos de Porão, além de nomes importantes, como Hangar, Saxon, Venom e Andre Matos.
Em comunicado oficial, o Blind Guardian criticou duramennte a organização do festival. "Devido a enormes problemas técnicos e administrativos, fomos forçados a cancelar. Parece que a produção local não tem sido capaz de garantir a estrutura de um festival. No futuro, teremos mais cuidado ao confirmarmos os shows."
Já o Rock N' Roll All Stars manifestou preocupação com os fãs em sua nota de cancelamento. "Fomos informados, antes de voarmos para o Brasil, que muitas outras bandas já cancelaram suas apresentações. Estamos muito preocupados com a segurança de nossos fãs e dos artistas que já estão no festival. Ouvimos relatos de que é o evento é perigoso e um desastre. Por favor, tenham cuidado. Estamos ansiosos para fazer rock com vocês no futuro".




 Depois de muita confusão, o Metal Open Air foi oficialmente cancelado pela produção e as atrações deste domingo (22) não vão acontecer. Os palcos do festival, em São Luís, no Maranhão, já estão praticamente todos desmontados e o público já deixou o Parque da Independência. Das 47 bandas previstas para se apresentarem nos três dias de evento (20, 21 e 22), apensa 13 subiram ao palco.

Ouça músicas grátis no Sonora

Kléber José Moreira, gerente do Procon de São Luís, falou ao Terra que já abriu um processo em parceria com o Ministério Público contra os organizadores do evento. "Ainda assim o Procon vai receber ações individuais, de pessoas que querem ser ressarcidas", explicou.

Um grupo de amigos veio de Natal, no Rio Grande do Norte, para acompanhar o festival e afirmou que a perda maior não é o dinheiro, mas o fato de não poderem acompanhar os shows que queriam. "O pessoal se chateou, mas todo mundo respeitou a situação. Poderia ficar em cima da bosta numa boa, se as bandas tivessem tocado", disse Pedro Vitor Ferreira, que ficou hospedado em um estábulo com amigos. O rapaz gastou R$ 2.800 para vir ao evento.

Gauss Magnus Valério, também de Natal (RN), reclamou da segurança do evento e acusou um segurança do Metal Open Air de roubá-lo. "Eu pedi para ele tirar uma foto e o cara do próprio evento foi embora com a câmera. Vou lembrar de São Luís por coisas muito ruins".

Já Milton Kifki veio de Blumenau, em Santa Catarina, para conferir os shows do festival de metal e gastou cerca de R$ 4 mil. Questionado sobre a perda do dinheiro, ele afirmou que não acredita que vá ser ressarcido. "A gente vai fazer o quê? Vai quebrar tudo e passar por baderneiro?", questionou.

Pessoas de outros países também foram a São Luís para participar do evento. César Molina, colombiano que marcou presença no MOA com um grupo de amigos, disse que não sabe como proceder para receber o dinheiro de volta, já que não é do Brasil. "Gastamos R$ 12 mil reais para vir da Colômbia para São Luís", explicou.

A produtora do evento, a empresa Lamparina Filmes e Produções, ainda não se pronunciou sobre o caso.

Entenda o caso
O festival Metal Open Air gerou muita polêmica nos últimos dias. Marcado para acontecer entre sexta (20) e domingo (22), em São Luís, capital do Maranhão, o evento sofreu com o cancelamento de diversas bandas, incluindo alguns dos headliners - como Anthrax, Blind Guardian, Ratos de Porão e o Rock N' Roll All Stars, grupo de Gene Simmons, que traria o ator Charlie Sheen ao MOA como mestre de cerimônias. Segundo o site especializado em heavy metal Whiplash, o festival começou com atraso neste sábado (21), apesar das cerca de 30 bandas canceladas. Por volta das 16h do mesmo dia, o site havia noticiado o cancelamento do MOA, mas a produção se apressou em negar a informação.

Apesar dos problemas com as bandas e reclamações gerais sobre falta de estrutura - usuários do Twitter disseram que o acampamento do festival estava localizado em um estábulo, por exemplo -, o festival teve shows nesta sexta (21), mesmo começando com cinco horas de atraso. Os norte-americanos do Megadeth, um dos headliners do festival, se apresentaram no palco do MOA.

Até o início da noite deste sábado, cerca de 30 bandas, segundo o Whiplash já haviam cancelado a participação no festival, entre elas os headliners Rock n' Roll Stars, Anthrax, Blind Guardian e Ratos de Porão, além de nomes importantes, como Hangar, Saxon, Venom e Andre Matos.

Em comunicado oficial, o Blind Guardian criticou duramennte a organização do festival. "Devido a enormes problemas técnicos e administrativos, fomos forçados a cancelar. Parece que a produção local não tem sido capaz de garantir a estrutura de um festival. No futuro, teremos mais cuidado ao confirmarmos os shows."

Já o Rock N' Roll All Stars manifestou preocupação com os fãs em sua nota de cancelamento. "Fomos informados, antes de voarmos para o Brasil, que muitas outras bandas já cancelaram suas apresentações. Estamos muito preocupados com a segurança de nossos fãs e dos artistas que já estão no festival. Ouvimos relatos de que é o evento é perigoso e um desastre. Por favor, tenham cuidado. Estamos ansiosos para fazer rock com vocês no futuro".